Filosofia animal: Humano, animal, animalidade

SINOPSE

Filosofia animal. Estudos recentes comprovam que está no olhar a chave para a criação de afeto entre homens e cachorros. Assim como numa relação entre mãe e filho, o contato visual aumenta a oxitocina, o hormônio do amor. É esse tipo de revolução no conhecimento que temos acerca dos animais que, muitas vezes, provoca os antropomorfismos, bem como empatias e projeções de características humanas. 

Mas é também no olhar que nasce a filosofia animal. “Diante do outro absolutamente estranho que olha e que, olhando, permanece em silêncio, o pensamento assumiu sua tarefa cósmica. O olhar é um modo primordial de interrogação que o pensamento acolhe como desafio.“ (Jelson Oliveira)  

O olho que vê e o olho que é visto representam uma relação que se organiza como um espelho de duas faces, de um lado, a animalidade do animal e de outro, a animalidade e a humanidade do humano. Uma relação que provoca tantas e variadas perguntas que o resultado não poderia ser outro que não a filosofia e, claro, a articulação dos artigos deste livro. Entre autores tão diversos, a obra evoca o encontro entre bichos e gentes a fim de provocar uma reflexão sobre esse encontro, induzida pelo olhar transpassado e interrogatório de quem, ao ver o outro, enxerga a si mesmo.  

“A filosofia animal é um pensamento sobre o espelho que todo animal é para o outro, diante do qual o homem também é obrigado a perguntar: espelho meu, existe alguém mais animal do que o eu?” (Jelson Oliveira) 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Impresso
Formato: 14 x 21 cm
Páginas: 424
Ano: 2016 

E-book
Formato: epub
Páginas: 434
Ano: 2017 

Referência
OLIVEIRA, J. (Org.). Filosofia Animal: Humano, Animal, Animalidade. Curitiba: PUCPRESS, 2017.

AUTOR

Jelson Oliveira  
É doutor em filosofia pela UFSCar e professor do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCPR. É membro do Grupo de Pesquisa Hans Jonas do CNPq, atual coordenador do GT Hans Jonas e membro do GT de Filosofia da tecnologia e da técnica da ANPOF (Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia). Autor de vários artigos e livros, entre os quais Para uma ética da amizade em Friedrich Nietzsche (7Letras), Compreender Hans Jonas (Vozes) e a trilogia Sabedoria Prática (PUCPress). É coautor de Diálogo sobre o tempo e Diálogo sobre a alegria (Coleção Café com Ideias, da PUCPRess). Sua pesquisa enfatiza temas de Ética e Filosofia Contemporânea, Filosofia da Técnica e Ética Ambiental, atuando principalmente com autores como Nietzsche, Schopenhauer e Hans Jonas. O presente livro é um dos resultados do projeto de pesquisa de pós-doutoramento na Universidade de Exeter, no Reino Unido, que contou com bolsa da CAPES (processo BEX 6115/15-2), à qual são expedidos os devidos agradecimentos. 

COMPARTILHE

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 

ARISTÓTELES E OS ANIMAIS 

O IMPENETRÁVEL CORAÇÃO ANIMAL: DESCARTES E CONDILLAC SOBRE OS ANIMAIS 

A APORIA ANIMAL, OU PORQUE NÓS SOMOS TODOS VEGETARIANOS NÃO PRATICANTES 

O ANIMAL NÃO Г COISA: SOBRE A AMBIGUIDADE DO ANIMAL 
NA ANALÍTICA EXISTENCIAL DO DASEIN  

CARÊNCIA E SOFRIMENTO: 

A IDENTIDADE ÍNTIMA DE TODOS OS SERES EM SCHOPENHAUER 

ENTRE VACAS, ASNOS, ÁGUIAS E SERPENTES: 

NIETZSCHE E A METÁFORA ANIMAL 

ÉTICA DA ALTERIDADE EM EMMANUEL LEVINAS: UMA PROPOSIÇÃO 

PARA A ÉTICA DOS ANIMAIS HUMANOS E NÃO HUMANOS  

OUTRIDADES ANIMAIS: DIÁLOGO LITERÁRIO-FILOSÓFICO 

ANIMAL/HUMANO: PLESSNER, BLUMENBERG, DERRIDA 

NUDEZ, ALTERIDADE E ANIMOT: SOBRE OS PRESSUPOSTOS DO 

QUESTIONAR NA REFLEXÃO DE DERRIDA ACERCA DO ANIMAL 

O VITALISMO LIBERTÁRIO DE GILLES DELEUZE. ANTI-HUMANISMO E 

ETOLOGIA DOS AFETOS: A ANIMALIDADE RESTITUÍDA 

O NOVO STATUS ONTOLÓGICO-ГTICO DA ANIMALIDADE SEGUNDO HANS JONAS  

GARY FRANCIONE E ABOLICIONISMO ANIMAL 

PETER SINGER E O PRINCÍPIO DE IGUAL CONSIDERAÇÃO DE INTERESSES 

COMO SE TORNAR UM PÓS-CACHORRO: OS ANIMAIS NO TRANSHUMANISMO 

SOBRE OS AUTORES 

OUTRAS PUBLICAÇÕES